Spaghetti integrali con friggitelli e datterini

(Trad: Espaguete integral com pimenta doce comprida e tomatinho)

Sei que aí o friozinho começou a pegar, chegou a hora de dormir com cobertor –“de orelha” ou de lã mesmo – e que à mesa a preferência é por coisas mais parrudas… Mas, como Brasil é Brasil e quando menos se espera o calor bate na porta de novo, deixo aqui uma receita de uma massa muito fácil de fazer e incrivelmente fresca: Spaghetti integrali con friggitelli e datterini.

Mais uma vez, nesta receita é tudo uma questão de qualidade dos ingredientes: os friggitelli, conhecido também como friarelli, são o meio termo entre a pimenta e o pimentão.

Friggitelli ou friarelli, seja como for, essa é a pimenta doce daqui.
Friggitelli ou friareli, seja como for, essa é a pimenta doce daqui.

Verdes, mas menores e bem mais suaves (e doces) do que o pimentão verde normal, são considerados pimenta, mas GARANTO que não ardem. No Brasil, não é assim tão fácil de encontrar, mas tem, normalmente conhecido como “pimenta doce comprida”, “pimenta doce verde”… E, estiver muito difícil de achar, com a pimenta sininho funciona também!

Por outro lado, os tomatinhos aqui da Itália são imbatíveis… mas mesmo no Brasil, procurando com carinho, é possível encontrar tomatinhos muito doces (como tomatinhos-pêra). Nesse caso, ou melhor, sempre que você quiser fazer um molho de tomate fresco e doce, vale a pena perguntar para alguém do mercado ou da feira quais são os tomatinhos mais doces do dia. Faz muita diferença.

 E é isso, vamos à receita.

Spaghetti integrali con friggitelli e datterini

(Serve 2 pessoas)

Ingredientes:

–       200g de espaguete integral
–       Mais ou menos 10 pimentas verdes doce (aproximadamente 350/400g)
–       150g de tomatinho doce
–       Sal (fino para temperar e grosso para a água*)
–       Azeite
–       2 dentes de alho

*Nota: aqui, normalmente as pessoas usam sal grosso na água da pasta; a regra é: 1L de água, 100g de pasta e 10/12g de sal grosso (uma colher de sopa rasa). Porém, se não me engano, o sal grosso vendido no Brasil é mais forte; por isso, se não quiser arriscar, coloque menos sal e, à medida que a pasta cozinha, experimente um fiozinho de massa. Se ainda estiver meio insossa, adicione um outro pouquinho de sal.

Modo de fazer:

1)   Coloque a água da pasta para ferver.

2)   Lave bem os tomatinhos e as pimentas. Destas, uma vez lavadas, corte e descarte, um por um, o “chapeuzinho” e, com a ajuda de uma faquinha pequena e afiada, tire o máximo possível de sementes. Para que estas saiam com mais facilidade, vale também girar o lado cortado para baixo e bater delicadamente a pimenta em uma tábua, para fazer com que as sementinhas mais teimosas caiam. Mas, não pire querendo tirar TODAS as sementes… tire só o máximo que conseguir, sem enlouquecer.

As sementinhas da pimenta - tente tirar o máximo possível, mas não enlouqueça querendo limpar tudo.
As sementinhas da pimenta – tente tirar o máximo possível, mas não enlouqueça querendo limpar tudo.

3)   Corte as pimentas em rodelas pequenas, mais ou menos 2cm. Corte também os tomatinhos pela metade.

Pimentas cortadas em rodelas e tomatinhos na metade
Pimentas cortadas em rodelas e tomatinhos na metade

4)   Em uma frigideira grande, ou panela bem larga, em fogo médio, coloque um fio de óleo (sem miséria) e dois dentes de alho com a casca, mas ligeiramente amassado – com a mão, o cabo de uma faca grossa, etc. Assim que o alho começar a fritar (i.e. soltar bolhinhas), adicione as pimentas.

5)   Refogue-as em fogo médio-alto por mais ou menos 5 minutos e adicione então os tomatinhos. Abaixe o fogo e tampe a panela. Passados outros 5 minutos, com cuidado para não espirrar tudo na cozinha inteira, esprema os tomatinhos com o lado de trás de uma colher de pau para fazer sair seu suco. Tampe novamente a panela. Deixe o molho apurar em fogo baixo.

Esprema os tomatinhos com cuidado... e tente não emporcalhar tudo...!
Esprema os tomatinhos com cuidado… e tente não emporcalhar tudo…!

6)   Salgue a água da massa e quando voltar a ferver, butta la pasta! (trad. “jogue a massa!”)**.

**Nota 2: Cuidado com a pasta integral, é mais chatinha de ficar “al dente”. Normalmente, a pasta normal atinge o ponto certo 2 minutos antes do tempo descrito na caixa. O tempo indicado para a massa integral normalmente é mais preciso, mas é necessário ficar em cima porque ela passa de “ainda dura” para “muito mole” muito rapidamente…

7)   Uma vez pronta a massa, escorra-a, aumente o fogo do molho e adicione a pasta a ele. Salteie por alguns instantes e pronto.

Buon appettito!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s